Crise econômica, política, aumento do desemprego e da inflação, dólar cada dia mais alto e péssimas previsões de crescimento para o Brasil. Como encarar todos esses fatos sem se deixar abater?

O cenário na maioria das empresas é o mesmo: poucos investimentos, corte de gastos, demissões, incertezas. A pressão aumenta, o clima organizacional é prejudicado e as decisões mais difíceis precisam ser tomadas.

Nessas condições existem duas opções: ficar estagnado esperando que a crise passe ou reagir e dar o seu melhor para enfrentar a situação. Nós preparamos esse artigo, para ajudar quem escolheu a segunda opção.

Manter a motivação na crise não só é possível, mas também é imprescindível para quem quer sair dela ainda mais forte. Mas para acordar cedo e sair para trabalhar sabendo que encontrará um cenário nada favorável, o profissional precisa estar realmente motivado.

Garantir essa motivação é papel de quem está à frente, dos líderes de cada equipe. Mas essa tarefa cabe principalmente a cada individuo, que precisa se automotivar a cada dia.

Se você quer descobrir como manter a motivação na crise e extrair o melhor resultado possível desse período, continue acompanhado o nosso artigo.

“A questão não é ter o problema, mas a forma como reagir a ele.” Roberto Setubal

Dê o seu melhor

A sensação de nadar contra a corrente cansa, quando você está cercado por más notícias e pessoas pessimistas, deixar-se abater parece ser a melhor saída. Mas não é.

Não estamos sugerindo que você seja ingênuo e ignore o cenário, mas que você saiba aproveitar esse momento de dificuldade para deixar suas qualidades e habilidade se sobressaírem.

Se os recursos foram reduzidos, por que não mostrar que você sabe improvisar, apresentar novas ideias? Se a insegurança passou a fazer parte da rotina da empresa, seja corajoso e passe mais segurança aos seus colegas. E se as mudanças estão acontecendo o tempo todo, esse é um ótimo momento para mostrar que você é um profissional resiliente.

A sua parte pessimista pode estar afirmando que “uma andorinha só não faz verão”. É verdade. Mas imagine como uma empresa onde a maioria dos profissionais decidiu dar o seu melhor, vai enfrentar e sair da crise.

Busque conhecimento

Se tem uma coisa que nada nem ninguém pode tirar de você é o conhecimento. Quando tudo está caminhando muito bem é normal nos acomodarmos e nos momentos de crise percebemos a necessidade de buscar novas ideias e soluções.

Claro que se a situação está difícil, investir em cursos e treinamentos não é a melhor saída. Mas existem várias outras formas de compartilhar conhecimento. Dentro da empresa existem especialistas em várias áreas, cada pessoa domina um assunto com propriedade. Assim, é possível organizar grupos de estudos, de acordo com as demandas e especialistas e promover momentos de troca enriquecedores.

O mesmo acontece fora da empresa, várias pessoas organizam grupos e encontros sobre determinados assuntos. Onde problemas e soluções são compartilhados. Vale lembrar que a crise passa e o conhecimento fica.

Nada de pensamento negativo

Todos sabem que a situação está difícil, mas ficar repetindo que tudo vai dar errado não resolve nada. Pelo contrário, frases e pensamentos negativos prejudicam o clima organizacional, disseminam o pessimismo e prejudicam a produtividade.

As palavras tem poder e quando negativas, pioram ainda mais o cenário e inibem a criatividade. Foque o pensamento no que pode ser feito para melhorar, enfrente os problemas de frente e sempre tente ver o lado positivo das situações.

Comunique com clareza

Essa é uma dica muito importante tanto para os colaboradores de uma empresa, quanto para os líderes. Uma boa comunicação é fundamental para o sucesso de qualquer organização, com crise ou não, mas nos momentos de dificuldade, as falhas são ainda mais prejudiciais.

Se as pessoas não sabem o que está acontecendo dentro e fora da empresa, é difícil garantir engajamento e alinhar as estratégias. Além disso, uma informação trocada ou incompleta prejudica seriamente os processos da empresa, e se a situação já está difícil, falhas, erros e retrabalho, só vão piorá-la.

Além da comunicação interpessoal, também é preciso ficar atento com a comunicação interna e externa da organização. As informações precisam ser enviadas e recebidas sem nenhuma interferência e ruído, e não pode existir espaço para outras interpretações.

É fundamental usar canais de comunicação seguros, que otimizem o tempo dos profissionais, facilitem o registro e a documentação dos processos e aumentem a produtividade. De nada adianta adotar soluções que facilitem a comunicação, mas prejudicam os resultados da empresa.

O público externo precisa saber como a empresa está se portando, quais os próximos passos, principalmente em momentos de crise. Também é preciso escolher canais eficientes para esse público, que é muito importante para a organização.

Na comunicação interpessoal, procure ouvir mais do que falar. Exponha suas ideias com clareza, não deixe espaço para dúvidas, dê feedbacks, não tenha medo de perguntar e saiba ouvir o que as pessoas tem a dizer.

Estimule suas motivações pessoais

Períodos de crise podem ser muito estressantes e voltar seu foco apenas para o trabalho e os resultados da empresa, não é o mais indicado. Dedicar um tempo ao que gostamos de fazer além de aliviar a mente das más notícias, fortalece nossas habilidades e potenciais.

Se você praticava um esporte mas acabou parando por algum motivo, essa é uma boa hora para voltar. Terminar aquela leitura que você começou faz tempo, passar mais tempo com a sua família, sair para fotografar, encontrar amigos, assistir uma série que te interessa… são atividades que não exigem um enorme investimento financeiro, deixam a vida mais leve e te fortalecem para enfrentar os desafios.

A crise que estamos enfrentando atualmente, vai passar. Mas outras virão. Cabe a cada pessoa escolher a forma que vai lidar com esses momentos, e isso reflete diretamente em sua vida profissional e nos resultados da empresa. E você? Como faz para manter a motivação na crise? Tem alguma dica ou experiência para compartilhar? Deixe nos comentários.